- Homem, 25 anos
- Sou de União da Vitória
- Paraná - Brasil
- Falo Português, gosto de Inglês
- Adoro Informática-Hardware-Kids






- 04/06/2006 a 10/06/2006
- 06/11/2005 a 12/11/2005
- 30/10/2005 a 05/11/2005
- 02/10/2005 a 08/10/2005
- 25/09/2005 a 01/10/2005
- 18/09/2005 a 24/09/2005
- 04/09/2005 a 10/09/2005
- 28/08/2005 a 03/09/2005
- 14/08/2005 a 20/08/2005
- 07/08/2005 a 13/08/2005
- 31/07/2005 a 06/08/2005
- 24/07/2005 a 30/07/2005
- 17/07/2005 a 23/07/2005
- 03/07/2005 a 09/07/2005
- 19/06/2005 a 25/06/2005
- 12/06/2005 a 18/06/2005


Renascendo

Nightwish
A Final Dream


- Todas Bijuterias da Gatinha
- Flog sobre Carros (Guto)
- Flog da Vanessa Adriane
- TOM Gotic (Breathe no more)
- Novas Ilusões, by Observador
- Ava Adore
- As 14 Máscaras
- Comédia Virtual
- Cosas de La Vitta
- Jornal Blogacional
- Olhares e Palavras (Luara)
- Alguns Pensamentos (Natan)
- In Silent Night
- Espelho da alma
- Acrósticos
- Labelluna
- Ser comum não é chato, é chique...
- Das Montanhas
- Palavreando
- Nos Bares da Vida
- Carta aos Amigos
- O Madruga é Rei
- Le Coucher du Soleil
- Silvie
- A bolsa da Mulher
- Blog da Magui
- Flog da Flaviazinha
- Ilustrado
- LÁPIDE


- Dê uma nota para o Maktub

Indique esse Vôo

 

 




Um ancião que está para morrer procura um jovem, e narra uma história de heroísmo:

- durante uma guerra, ajudou um homem a fugir.

Deu-lhe abrigo, alimento e proteção. Quando já estavam chegando a um lugar seguro, este homem decidiu traí-lo e entregá-lo ao inimigo.

- E como você escapou? – pergunta o jovem.

- Não escapei; sou o outro, sou aquele que traiu – diz o velho. – Mas ao contar esta história como se fosse o herói, posso compreender tudo o que ele fez por mim.

 



-Está Escrito por: Ricardo GR às 18h10
[ | ] [ ] envie este escrito





- Faltou algo em sua palestra sobre o caminho de Santiago – diz uma peregrina ao viajante, assim que saem da conferência.

- Tenho notado que a maioria dos peregrinos – seja no caminho de Santiago, seja nos caminhos da vida – sempre procura seguir o ritmo dos outros – diz ela.

“No início de minha peregrinação, procurava ir junto com meu grupo. Me cansava, exigia de meu corpo mais do que podia dar, vivia tensa, e terminei tendo problemas nos tendões do pé esquerdo.

Impossibilitada de andar por dias, entendi que só conseguiria chegar a Santiago se obedecesse meu ritmo pessoal.

“Demorei mais que os outros, tive que andar sozinha muitos trechos – mas foi só porque respeitei meu próprio ritmo que consegui completar o caminho. Desde então aplico isso a tudo que preciso fazer na vida.”

Eu também!

 

 



-Está Escrito por: Ricardo GR às 19h11
[ | ] [ ] envie este escrito